A actividade editorial da Cena Lusófona é vasta e diversificada, contemplando a publicação de uma revista especializada, setepalcos, que tem sido uma montra do que se faz na cooperação teatral entre todos os países da CPLP; a Colecção de Teatro da Cena Lusófona, uma colecção de dramaturgia de língua portuguesa que conta já com nove volumes dos autores: José Mena Abrantes (Angola), Leite de Vasconcelos (Moçambique), Mia Couto e Natália Luiza (Moçambique e Portugal), Fernando Macedo (S. Tomé e Príncipe), António Aurélio Gonçalves (Cabo Verde), Abel Neves (Portugal), Naum Alves de Souza (Brasil) e Abdulai Sila (Guiné-Bissau).

Há ainda a registar o lançamento, em finais de 2001, do álbum monográfico “Floripes Negra”, de Augusto Baptista, dedicado a uma das mais extraordinárias manifestações teatrais de rua africanas, o Auto de Floripes, que anualmente se realiza na Ilha do Príncipe. Ainda no campo editorial, a Cena Lusófona lançou em 2002 o cenaberta, um jornal com duas versões, em papel e em formato digital, que pretende ser um espaço noticioso dedicado às iniciativas da associação e, em geral, às actividades culturais e teatrais da comunidade de língua portuguesa; e em 2010, lançou uma edição em DVD dos documentários “À procura de Sabino” e “Soia di Príncipe”, dois filmes do realizador português Ivo M. Ferreira sobre a tradição dos narradores orais em São Tomé e Príncipe.